Cerca de 20 mil quilos de produtos da agricultura familiar abastecem RUs a cada mês

Responsável pelo fornecimento de aproximadamente 5.300 refeições diárias para os cinco Restaurantes Universitários (RUs), o Departamento de Gestão de Restaurantes (DGR) da Ufes vem realizando, desde 2017, chamada pública para compras de alimentos provenientes de produtores da agricultura familiar. São mais de 60 produtos adquiridos diretamente da agricultura familiar, entre gêneros alimentícios e hortifrutigranjeiros, como ovos, frutas, hortaliças, legumes, feijão, farinha de mandioca e fubá, totalizando mais de 120 mil quilos a cada seis meses.

Para a diretora do DGR, Amelia Lima, receber produtos diretamente da agricultura familiar reforça ainda mais a política da Ufes de fornecer alimentação saudável e de boa procedência. “Além de valorizar o produtor rural, a parceria também gera benefícios para a Universidade, pois recebemos produtos naturais de qualidade e com alto valor nutricional, contribuindo para a segurança alimentar e nutricional dos nossos usuários”, reforça.

De acordo com a presidente da Comissão Especial de Licitação do DGR, Thayná Ventura, essa medida está regulamentada pelo Decreto nº 8.473 de 2015, que determina aos órgãos federais destinar, no mínimo, 30% dos recursos para a aquisição de alimentos da agricultura familiar. São produtos provenientes de pequenos produtores, cooperativas, associações, silvicultores, aquicultores, extrativistas, pescadores artesanais, comunidades indígenas, remanescentes de quilombos rurais e comunidades tradicionais. Os outros 70% dos recursos para aquisição de alimentos são adquiridos por meio de processos licitatórios e pregões.

Para 2019, o valor total estimado no edital da chamada pública para aquisição de alimentos provenientes da agricultura familiar foi de R$ 410.990,35, porém, “foram efetivamente contratados R$ 290.142,42, tendo em vista que alguns itens ficaram sem proposta”, esclarece a presidente da Comissão.

Com essa medida, os agricultores familiares têm mais chances de vender suas mercadorias, uma vez que não competem com grandes empresas, mas com os próprios agricultores que fornecem os alimentos. “Antes, os restaurantes universitários do país só podiam comprar esses produtos por meio de licitações, mecanismo que muitas vezes eliminava os pequenos produtores pela dificuldade de competirem com médios e grandes fornecedores”, conta Thayná.

A última chamada pública foi realizada em 12 de junho para atender, durante seis meses, os restaurantes dos campi de Goiabeiras e de Maruípe (3 mil refeições/dia), de São Mateus (950 refeições/dia) e de Alegre (1.300 refeições/dia, o que inclui o restaurante de Jerônimo Monteiro).

Para a técnica em nutrição do DGR e membro da Comissão da Chamada Pública, Marizete Pereira Leite, esse processo fomenta a agricultura familiar, gera desenvolvimento nas regiões rurais e facilita o abastecimento, além de ampliar a oferta de gêneros de melhor qualidade como alternativa aos produtos processados. “Os alimentos se destacam por sua qualidade, são mais frescos, duram mais, a qualidade é incomparável e são entregues duas vezes por semana”, afirma.

História

O Restaurante Universitário (RU) da Ufes completou, neste ano, 51 anos de funcionamento. Ele foi inaugurado em 1º de março de 1968, no Centro de Vitória. No segundo semestre de 1980, o restaurante de Goiabeiras foi inaugurado. Atualmente, a Ufes possui cinco unidades (Goiabeiras, Maruípe, Alegre, Jerônimo Monteiro e São Mateus), que fornecem diariamente refeições para estudantes, técnicos-administrativos, professores, funcionários terceirizados e usuários da comunidade externa.

Os cardápios são planejados e elaborados por nutricionistas, e a distribuição dos alimentos é realizada em balcões térmicos. Em geral, o cardápio é composto por três acompanhamentos (arroz branco, arroz integral e feijão), uma opção de guarnição, uma de prato proteico (carne e uma opção vegetariana), dois tipos de salada e uma fruta como opção de sobremesa.

Para a diretora Amelia Lima, os restaurantes não apenas representam a democratização do espaço universitário, como ambiente de integração, mas também colaboram com as condições de vida dos usuários. “O objetivo principal dos restaurantes é fornecer uma boa alimentação, o que pode, entre os resultados possíveis, melhorar o rendimento escolar dos estudantes, bem como colaborar com a redução dos índices de evasão escolar”, explica.

Durante o ano de 2019, estão previstos o consumo, nos restaurantes, de aproximadamente 60 mil quilos de feijão, 85 mil quilos de arroz, 280 mil quilos de hortaliças, 250 mil quilos de frutas e 530 mil unidades de ovos. Segundo dados da Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis e Cidadania (Proaeci), em 2018 foram servidas 832.978 refeições nos restaurantes da Universidade. Para os estudantes que são cadastrados no Programa de Assistência Estudantil da Ufes (Proaes) e que foram contemplados com o auxílio alimentação, as refeições são gratuitas.

Atualmente, a equipe de funcionários dos restaurantes é composta por 34 servidores da Ufes e por 126 funcionários terceirizados, entre armazenistas, auxiliares de cozinha, atendentes de refeitório, auxiliares de serviços gerais, operadores de câmaras frigoríficas, cozinheiros, supervisores, técnicos em contabilidade, nutricionistas, auxiliar e assistentes em administração, técnicos e auxiliares em nutrição e dietética e administradores.

Texto e foto: Jorge Medina
Edição: Thereza Marinho

 

 

Categoria: 
Destaque
Acesso à informação
Transparência Pública
Dados abertos
Prestação de contas

Av. Fernando Ferrari, 514, Goiabeiras | Vitória - ES - CEP 29075-910 | © Universidade Federal do Espírito Santo 2013. Todos os direitos reservados.