Laço azul símbolo da campanha para a prevenção e diagnóstico precoce do câncer de próstata

Cine Metrópolis abre programação da semana com "Ser Tão Velho Cerrado". Veja as outras atrações

Para abrir a programação da semana em grande estilo, o Cine Metrópolis exibe Ser Tão Velho Cerrado, um documentário de André D’elia que é uma grande campanha em defesa do cerrado, bioma brasileiro no estado de Goiás que está próximo de ser extinto. Os moradores da Chapada dos Veadeiros buscam, então, alternativas de desenvolvimento para a região, elaborando um Plano de Manejo que os desafia a conciliar interesses aparentemente incompatíveis.

Com linguagem didática e impactante, o filme trata de questões como a importância hídrica do cerrado, conhecido como o “berço das águas” do Brasil; seu potencial farmacológico e alimentar; o impacto dos grandes latifúndios e sua pressão contra a preservação ambiental; a beleza das paisagens e a riqueza de sua biodiversidade; e as queimadas criminosas.

O longa ganhou uma campanha de financiamento coletivo para arrecadar cerca de R$ 80 mil, valor utilizado para viabilizar a distribuição do filme nos cinemas brasileiros.

Pré-estreia

O filme Unicórnio (foto), escrito e dirigido por Eduardo Nunes, é baseado nas obras “O Unicórnio” e “Metamouros”, da escritora brasileira Hilda Hilst e retrata a história de Maria (Bárbara Luz) que, numa rústica casa de campo, aguarda a volta do pai (Zécarlos Machado), um sujeito que abandonou a família, ao lado da mãe (Patrícia Pillar). A relação das duas sofre uma mudança quando um novo vizinho (Lee Taylor) chega à região.

O longa marca o retorno da atriz Patrícia Pillar à telonas e teve estreia mundial na Première Brasil no Festival do Rio de 2017, além de ter sido exibido na Mostra Generation do Festival de Berlim deste ano.

A pré-estreia acontece neste sábado, 11, e após a sessão será realizado um debate sobre a obra de Hilda Hilst com a participação dos professores Erly Vieira Jr. e Wilberth Salgueiro e da mestranda Isabella Mariano.

Sessão Abraccine

A Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine) traz para o Cine Metrópolis o filme Boi de Lágrimas, de Frederico Machado. Trata-se de um filme trabalhado em uma linguagem experimental, com a mistura de narrativas e som diferenciado. É um longa sobre horror e solidão, com um trabalho diferente da narrativa tradicional.

Gravado em apenas três dias, o filme se concentra em cinco personagens avulsos, que servem como propulsores de sentimentos e dualidade quanto ao momento social, político e cultural de hoje e sempre no Brasil.

Confira os dias e horários das sessões:

Ser Tão Velho Cerrado (Brasil, 2018, cor, 96’, livre)
Quinta-feira, 9, e sexta-feira, 10, às 16h
Sábado, 11, e domingo, 12, às 19h20
Segunda-feira, 13, e terça-feira, 14, às 15h

Unicórnio (Brasil, 2018, cor, 122’, 10 anos)
Sábado, 11, às 16h20

Boi de Lágrimas (Brasil, 2018, cor, 60’, 16 anos)
Domingo, 12, às 16h20

 

Texto: Adriana Damasceno
Edição: Thereza Marinho

 

Categoria: 
Destaque
Acesso à informação
Transparência Pública
Dados abertos
Prestação de contas

Av. Fernando Ferrari, 514, Goiabeiras | Vitória - ES - CEP 29075-910 | © Universidade Federal do Espírito Santo 2013. Todos os direitos reservados.