Laço rosa em adesão à campanha de prevenção ao câncer de mama

Febre amarela: pessoas que não foram vacinadas devem buscar imunização

O verão se aproxima e, com a combinação de temperaturas mais altas e chuvas, é natural o aumento do número de mosquitos circulando, inclusive os que transmitem vírus de doenças como a dengue, a zika e a febre amarela.

Embora a campanha de imunização realizada no início do ano tenha realizado uma cobertura superior a 80% da população do Espírito Santo (mais de 3 milhões de pessoas), os indivíduos que ainda não foram protegidos contra a febre amarela devem procurar a vacina as unidades de saúde dos municípios o mais rápido possível.

“É importante que a população se previna, pois o verão cria condições propícias para uma nova onda da doença. Aqueles que ainda não se vacinaram na campanha do início deste ano, devem procurar a unidade de saúde mais próxima de sua residência para se vacinar”, afirma a professora Programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva e do Departamento de Enfermagem e vice-reitora da Ufes,  Ethel Maciel.

No verão de 2017, um mutirão foi realizado em todo o estado para imunizar a população contra a doença, depois que foi comprovada a circulação do vírus também em ambientes urbanos. Somente na Ufes um total de 12.727 pessoas foram imunizadas, no campus de Goiabeiras. A força-tarefa da Universidade reuniu professores, técnicos e estudantes em uma atividade de voluntariado, para colaborar com ações que já vinham sendo realizadas por prefeituras e outras instituições públicas e privadas.

Critérios

A vacinação contra febre amarela segue critérios recomendados pelo Programa Nacional de Imunizações. O Ministério da Saúde alerta que, nos casos de pacientes com imunodeficiência, a administração da vacina deve ser condicionada à avaliação médica de risco-benefício.

Pessoas com histórico de reação alérgica a substâncias presentes na vacina (ovo de galinha e seus derivados, gelatina e outros produtos com proteína bovina), além de pacientes com histórico anterior de doenças do timo (miastenia gravis, timoma, ausência de timo ou remoção cirúrgica) também devem buscar orientação profissional. Os idosos acima de 60 anos precisam de laudo médico para receber a vacina.

Veja quando a vacina é contraindicada:

Crianças menores de 6 meses de idade;
Pacientes com imunodepressão de qualquer natureza;
Pacientes infectados pelo HIV com imunossupressão grave;
Pacientes em tratamento com drogas imunossupressoras (corticosteroides, quimioterapia, radioterapia e imunomoduladores);
Pacientes submetidos a transplante de órgãos;
Pacientes com imunodeficiência primária;
Pacientes com neoplasia;
Indivíduos com história de reação anafilática relacionada a substâncias presentes na vacina (ovo de galinha e seus derivados, gelatina bovina ou outras);
Pacientes com história pregressa de doenças do timo (miastenia gravis, timoma, casos de ausência de timo ou remoção cirúrgica).

Veja os contatos de algumas unidades de saúde da Grande Vitória e do interior:

Vitória - http://www.vitoria.es.gov.br/cidadao/lista-com-as-unidades-de-saude-de-cada-bairro

Vila Velha - http://www.vilavelha.es.gov.br/paginas/saude-unidades-de-saude-por-regioes-administrativas

Serra - http://www.serra.es.gov.br/detalhe-da-materia/info/unidade-de-atencao-primaria-a-saude/6848

Cariacica - http://www.cariacica.es.gov.br/prefeitura/secretarias/semus/unidades-de-saude-de-cariacica/

Viana - http://www.viana.es.gov.br/site/secretaria/SEMSA/estrutura/UAPS

São Mateus - http://www.saomateus.es.gov.br/site/secretaria-saude-sao-mateus.aspx

Alegre - http://www.alegre.es.gov.br/site/index.php/servicos/87-telefones-uteis

 

 

Texto: Thereza Marinho

 

 

Categoria: 
Destaque
Acesso à informação
Transparência Pública
Dados abertos
Prestação de contas

Av. Fernando Ferrari, 514, Goiabeiras | Vitória - ES - CEP 29075-910 | © Universidade Federal do Espírito Santo 2013. Todos os direitos reservados.