Pesquisa ganha prêmio nacional mostrando como economizar até 36% de energia

A pesquisa de iniciação científica de Filipe Galina Costalonga, intitulada “A influência da janela no consumo de energia em edificações residências multifamilares”, foi uma das vencedoras do Prêmio Odebrecht para o Desenvolvimento Sustentável. Filipe (na foto, ao lado da orientadora Edna Rodrigues) é estudante recém-formado no curso de Arquitetura e Urbanismo da Ufes.

Sua pesquisa concorreu com outras 263, ficando entre as cinco melhores. A investigação analisou o desempenho térmico de um ambiente ventilado naturalmente, com modelos de janelas diferentes, considerando o quantitativo de frequência de desconforto térmico (FDT), em relação ao consumo de quilowatt-hora (kWh) para resfriamento. OFDT é uma percentagem de tempo que a temperatura operativa está acima ou abaixo do intervalo de conforto.

O resultado indicou que um modelo de janela permite reduzir em até 36% o consumo de energia pelo uso da ventilação natural com sombreadores. “As janelas utilizadas tiveram como referência o modelo mais utilizado nestas edificações e com as características descritas nas diretrizes da norma de desempenho. A utilização de componentes que permitiam a ventilação constante e o sombreamento da janela foram fatores importantes na melhoria do desempenho térmico da edificação, diminuindo em até 36,44% o consumo de kwh para a refrigeração”, enfatiza o estudante.

A partir dos resultados obtidos, pode-se afirmar que a janela mais usual nos edifícios residenciais multifamiliares não é adequada e demostra um desempenho ruim para o conforto térmico, indicando ambientes com a necessidade de maior uso de refrigeração mecânica, elevando assim, o consumo de energia.

Verão

A pesquisa foi realizada durante o último verão em residências multifamiliares no município de Vitória e é um desdobramento da tese da professora do Departamento de Arquitetura, Edna Nico Rodrigues, que analisou duas mil residências e foi a coordenadora de Filipe durante a pesquisa de iniciação científica.

“Acredito que essa premiação é um reconhecimento nacional e internacional dos nossos alunos e da nossa instituição como formadores de profissionais, pois é a primeira vez que a Ufes foi premiada nesta área e é o único trabalho na área de arquitetura selecionado. Durante a premiação, vários profissionais,  pesquisadores e empresários estarão presentes e teremos a oportunidade de mostrar o nosso potencial”, destacou a professora Edna.

O estudante premiado enfatiza a importância da premiação para a sua vida profissional. “É um reconhecimento acadêmico e profissional. Temos que ter consciência da importância do desenvolvimento social e do meio ambiente com a sustentabilidade. A premiação prova também a qualidade do ensino ministrado na Universidade”, destaca.

Urbanização

A pesquisa também enfatizou a importância da economia de energia, devido a crescente urbanização mundial. Projeções mostram que a urbanização, associada ao crescimento populacional mundial, poderá trazer mais de 2,5 bilhões de pessoas para as áreas urbanas até 2050. Além disso, mostra também que o consumo de energia está aumentando, em média, 3,0% ao ano, tendo os aparelhos de ar condicionados responsáveis por 20% do consumo de eletricidade no setor residencial, a geladeira com 22% e o chuveiro com 24%. Esses são os principais desafios para o desenvolvimento sustentável, garante Filipe.

Apesar de recém-formado, Filipe não perdeu seu vínculo com a Ufes. Ele participa de projetos desenvolvidos no Laboratório de Planejamento e Projetos (LPP), do Centro de Artes, que atua no desenvolvimento de pesquisas e projetos baseados nos conceitos da sustentabilidade do ambiente natural e construído. O laboratório tem a coordenação da professora Cristina Engel de Alvarez.

Prêmio

Durante os dias 21 e 22 de setembro, uma equipe da Odebrecht esteve na Ufes com o objetivo de produziu um vídeo com os participantes da pesquisa e sobre a Universidade. O vídeo será exibido durante a premiação, que acontece em São Paulo, no dia 25 de outubro.

A pesquisa premiada também foi apresentada no XIV Encontro Nacional de Conforto no Ambiente Construído (Encac) e no X Encontro Latino-Americano de Conforto no Ambiente Construído (Elacac), ambos realizados nos dias 27 e 29 de setembro, na cidade de Camboriú, em Santa Catarina.

O prêmio Odebrecht tem o objetivo de reconhecer e incentivar jovens universitários que se propõem a pensar a engenharia, arquitetura e agronomia em uma perspectiva sustentável e gerar conhecimento sobre o tema, difundindo essas novas ideias junto à comunidade acadêmica brasileira e à sociedade em geral. O prêmio é de R$ 30 mil, divididos para o aluno, para a orientadora da pesquisa e para a instituição comprar equipamentos de pesquisa.

Texto e foto: Jorge Medina
Edição: Thereza Marinho

 

Categoria: 
Destaque
60 anos da Ufes
Acesso à informação
Transparência Pública
Dados abertos
Reestruturação e Expansão das Universidades Federais
Prestação de contas

Av. Fernando Ferrari, 514, Goiabeiras | Vitória - ES - CEP 29075-910 | © Universidade Federal do Espírito Santo 2013. Todos os direitos reservados.