Seminário apresenta diferentes experiências de museus do país e a proposta do museu universitário

Por Vítor Simões (*) e Thereza Marinho

Mostrar experiências de museus do País e apresentar o projeto pensado para o Museu de Arte Contemporânea (Marco) da Ufes. Esta foi a proposta do segundo dia do seminário “O museu na Universidade“, realizado no Cine Metrópolis.

O secretário estadual de Cultura, Maurício Silva, destacou a importância do Estado discutir não só sobre os museus, mas também sobre a arte. “É ótimo a Ufes abrir esse espaço de discussão, debate e intercâmbio com pessoas que participaram de experiências vitoriosas pelo Brasil e pelo mundo.
Reforçou que não só Vitória, mas também nosso Estado, precisa fazer parcerias para que outros projetos culturais possam ser levados adiante”, afirmou.

Pela manhã, na mesa “A Ufes e o Espírito Santo”, a superintendente de Cultura e Comunicação da Ufes, Ruth Reis, fez um retrospecto do surgimento dos espaços culturais dentro da Universidade. Já o diretor do Centro de Artes, Paulo Vargas, apresentou aos participantes a proposta do museu que se pretende construir no campus de Goiabeiras.

Já na mesa “Para que servem as coleções de arte?”, os palestrantes Luiz Camilo Osório e Luiz Vergara apresentaram as experiências do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro e do Museu de Arte Contemporânea de Niterói.

Parcerias

À tarde, na mesa “O museu e a cidade: asserções, inserções e interfaces”, a palestrante Marina Toledo falou sobre o Museu da Língua Portuguesa e destacou que as redes e parcerias são fundamentais para a construção de um museu. Marina abordou ainda pontos importantes, como o tratamento ao público: “O público não é só um usuário. Deve-se buscar maneiras de atendê-lo e, principalmente, ouvi-lo”.

Já o professor do Centro Universitário Ritter dos Reis e coordenador da memória cultural da Secretaria de Cultura de Porto Alegre, Luiz Custódio, apresentou um panorama geral sobre os museus consagrados por todo o mundo e a importância dos museus para as cidades que os abrigam.

Desafio

Na mesa “Museus e cidades criativas”, Mariana Varzea, da Superintendência de Museus do Governo do Estado do Rio de Janeiro, trouxe sua experiência e apontou como desafio o despreparo das instituições culturais, que devem ser trabalhadas para melhorar o atendimento ao público e despertar seu interesse.

Na última mesa do dia, que abordou o tema “O museu e a universidade: experiência argentina”, o público pôde conhecer a experiência do Museo de la Universidad Nacional de Tres de Febrero, apresentado pela curadora Diana Wechler.

O seminário “O Museu na Universidade” teve início na terça-feira (05) e foi realizado pela Ufes por meio da Superintendência de Cultura e Comunicação da Ufes (Supecc), com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Espírito Santo (Fapes). Durante os dois dias, o evento reuniu pesquisadores, cientistas, estudiosos, professores, alunos, técnicos, produtores culturais e empreendedores criativos.

(*) Bolsista de projeto de Comunicação, supervisionado por Thereza Marinho.

Categoria: 
Manchete
60 anos da Ufes
Acesso à informação
Transparência Pública
Dados abertos
Reestruturação e Expansão das Universidades Federais
Prestação de contas

Av. Fernando Ferrari, 514, Goiabeiras | Vitória - ES - CEP 29075-910 | © Universidade Federal do Espírito Santo 2013. Todos os direitos reservados.